Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Domingo Espetacular
Publicidade

Tande relembra conversa com médico após sofrer infarto: ‘Você nasceu de novo’

Em entrevista exclusiva, o medalhista olímpico revelou detalhes do susto que passou e se emocionou ao falar da mãe

Domingo Espetacular|Do R7

Tande revela detalhes do infarto que sofreu e se emociona ao falar do susto (Reprodução/RECORD)

O Domingo Espetacular conversou com um dos jogadores mais queridos do Brasil. Multicampeão pela seleção brasileira, Alexandre Ramos Samuel, o Tande, aos 54 anos, sofreu infarto e precisou ser internado no Rio de Janeiro. Passado o susto e em casa, o craque recebeu a equipe da RECORD para uma entrevista exclusiva, a primeira após sair do hospital.

O campeão olímpico de vôlei descobriu um bloqueio severo em três artérias e ficou cinco dias no hospital. “Eu não conseguia distinguir se era pulmão, se era um refluxo subindo aqui no peito, uma palpitação aqui no pescoço”, revelou.

Em ‘992, Tande foi titular do time de vôlei que fez história quando ganhou o primeiro ouro olímpico brasileiro em esportes coletivos, em Barcelona, na Espanha. Deixou as quadras, mas foi vitorioso no vôlei de praia até se aposentar em 2004. O atleta contou que mesmo após deixar o vôlei, manteve uma rotina de práticas esportivas. Em casa, tem até uma mini academia bem equipada.

“Muitas das pessoas ficaram impressionadas, se aconteceu com um atleta campeão olímpico, pode acontecer com qualquer um. ‘Será que ele não se cuidava?’ Nunca fumei, nunca bebi, nunca me droguei”, garantiu o ex-jogador.

Publicidade

Para ele, essa surpresa geral com a notícia do infarto pode ter uma explicação: a genética. ”Meu avô morreu muito cedo, infartou. Meu tio, em um futebol sábado de manhã, foi para o ataque, quando ele voltou correndo, caiu duro aos 42 anos”, disse.

Segundo ele, os sinais de que alguma coisa não estava bem começaram a aparecer há cerca de quatro anos. Ele começou a perceber que não estava com a mesma resistência e folego de antes, mas acreditou que estava se exercitando menos. Os sintomas se tornaram mais presentes no fim do ano passado, quando ele estava com a família em um parque de diversões nos Estados Unidos.

Publicidade

“A gente foi correndo, cheguei antes deles, mas parecia que eu tava tomando umas facadas aqui no pulmão. Pegava na mandíbula e comprime, alguns casos falam que vai para o dente, eu sentia repercutir um pouquinho no ouvido”, contou o medalhista.

André Leme, cardiologista do Hospital Moriah, explicou quais são os sintomas que podem ser sugestivos de um problema no coração: “Dores no peito, aquela dor que espalha para o pescoço ou para o braço esquerdo. Quando você vai fazer uma atividade física, ou uma atividade em casa mesmo, e você tem tontura e mal-estar”.

Publicidade

Há cerca de 10 dias, Tande teve o sinal definitivo de que estava com algum problema grave. Ele estava comemorando o aniversário da irmã, Adriana Samuel, em um restaurante do Rio. Na saída do local, ele conversava com o cunhado e voltou a ter um mal-estar.

Na hora, pensou na mãe que morreu após lutar contra um câncer na cabeça e tomou a decisão de ir ao hospital. O medalhista se emocionou ao falar da matriarca e revelou que nunca pensou na possibilidade de ser um infarto, acreditava que, no máximo, seria uma pneumonia.

Quando chegou no hospital, recebeu da médica que o atendia a revelação bombástica. “Ela me falou que a alteração era um infarto. Naquele momento, eu falei ‘que isso, doutora, não é possível’. Ela ainda falou ‘e tem mais, você vai ser internado agora’”, revelou.

Tande foi submetido a um cateterismo, exame feito nas artérias para verificar o nível de obstrução e também como está o funcionamento geral do coração. Quando terminou, segundo o atleta, o cardiologista falou: “Tenho uma notícia boa e uma ruim para te dar. A boa é que você não vai precisar fazer a pontes de safena e mamária. A ruim, campeão, você tinha de duas horas a uma semana para morrer, você está entupido”.

Tande recebeu stents, pequenos tubinhos que auxiliam no fluxo das artérias e evita a obstrução. A alta veio cinco dias depois da internação e ele se recupera em casa. Nesse meio tempo, descobriu que outra estrela daquele ouro olímpico em Barcelona, o ex jogador Pampa, também luta pela vida após descobrir um nódulo no pescoço.

O ex-jogador, atualmente com 59 anos, estava há mais de um mês internado na UTI de um hospital de Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. Na última sexta-feira (19), ele foi transferido para um hospital da cidade de São Paulo.

Tande revelou que, em situações como essa, fica o alerta para as pessoas se cuidarem. Após sair do hospital, foi questionado se já voltará as atividades e contou que perguntou ao médico. “Eu voltei, falei assim ‘Doutor, e aí, vou poder fazer as palestras?’ Ele me disse: ‘Você me deu um trabalho para eu te botasse vivo aqui, vai cuidar de você, você tá vivo. Nasceu de novo, 13 de abril de 2024 é seu novo aniversário’”, relatou.

Confira na íntegra:

O Domingo Espetacular vai ao ar todos os finais de semana, às 19h45, na tela da RECORD.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.