Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Balanço Geral
Publicidade

Saiba como foi a prisão de um dos homens mais procurados do Brasil

O criminoso foi condenado por participar de roubos a bancos e ataques contra policiais em 2005 e estava foragido há mais de 20 anos

Balanço Geral|Do R7

Dako é preso após não voltar de saidinha em 2005
Dako é preso após não voltar de saidinha em 2005 Dako é preso após não voltar de saidinha em 2005 (Reprodução/RECORD)

O Balanço Geral acompanha a prisão de um dos homens mais procurados do Brasil, Jackson de Oliveira Santos, de 44 anos, em Valinhos, no interior de São Paulo.

O criminoso, conhecido como Dako, é um velho conhecido da polícia e estava foragido há quase 20 anos.

Equipes do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP) e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado de São Paulo (GAECO) cumpriram o mandado de prisão e busca e apreensão logo pela manhã de quarta-feira (7). Jackson morava com a esposa em uma casa no bairro Vale Verde, em Valinhos (SP).

Leia também

O paradeiro dele foi descoberto pelo setor de inteligência do BAEP de Campinas (SP), em conjunto com o GAECO, após uma semana de investigação. Jackson cumpria a pena pelo crime de tráfico de drogas na Penitenciária de Casa Branca, em São Paulo. Em 2005, quando recebeu o benefício da saidinha, não voltou mais para a prisão e desde então estava foragido.

Publicidade

Segundo a polícia, ele é suspeito de envolvimento a ataques contra forças policiais em 2006, roubos a bancos que aconteceram na cidade de Araçatuba (SP) em 2021 e no Mato Grosso no ano passado.

Na casa do suspeito, as equipes apreenderam um vasto material. “Localizamos alguns objetos ilícitos, como arma de fogo, uma pistola 9 mm, munição e vários equipamentos comumente utilizados por pessoas que praticam roubos a banco”, afirmou capitão Antunes. Além disso, encontram roupas táticas, botas, lanternas e lunetas para colocar em fuzis.

Publicidade

Uma ferramenta que pode ser usada para fabricação de explosivos e uma máquina de contar dinheiro chamaram a atenção da polícia. “Ele alegou que essa máquina é dele há muito tempo e usava para contar dinheiro do crime”, afirmou o policial militar.

O criminoso alegou trabalhar como entregador por aplicativo atualmente e confirmou que continua envolvido com o tráfico de drogas. Sobre os outros crimes, ele negou envolvimento. Dako foi encaminhado para delegacia de Valinhos (SP), onde permaneceu preso.

Publicidade

O condenado também responde por um homicídio que cometeu em Campinas (SP) e cumpre pena por associação ao tráfico. Agora, Jackson também deve ser indiciado por porte legal de arma e uso de documentação falsa, já que estava usando outro nome.

Confira na íntegra:

O Balanço Geral vai ao ar de segunda a sexta, às 11h50; e aos sábados, às 13h, na RECORD.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.