Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Fala Brasil
Publicidade

Jornalistas da Record TV são hostilizados e agredidos ao cobrirem paralisações pelo país

Associações de imprensa se manifestaram sobre os casos e repudiaram os ataques

Fala Brasil|Do R7

Durante a cobertura das paralisações pelo país, jornalistas da Record TV foram hostilizados e agredidos. Anderson Henrique, da TV Tati, afiliada em Campinas, pediu ajuda ao vivo para poder fazer o trabalho dele. Em São Paulo, a repórter Paola Vianna mostrava um homem sendo detido por estar armado na manifestação quando foi cercada por um grupo que impediu o registro da imagem. Durante a cobertura do atropelamento de, ao menos, sete pessoas, na Rodovia Washington Luís, em Mirassol, interior paulista, o repórter Yuri Macri foi interrompido quando entrava ao vivo e perseguido pelos manifestantes. Em Santa Catarina, o repórter Osvaldo Sagaz estava no meio da rodovia quando um grupo cercou o jornalista e o cinegrasita e exigiu que eles saíssem do local. Em Porto Alegre (RS), a repórter Daiane Dalle Tese foi seguida e hostilizada por manifestantes. A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão, a Associação Nacional de Editores de Revistas e a Associação Nacional de Jornais divulgaram uma nota conjunta repudiando os casos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.