Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Reis

João Villa comenta gravação da morte de Isbosete em Reis — A Conquista: "Muito difícil"

Ator falou sobre os bastidores da série e analisou trajetória do personagem

Entrevistas|Raíza Chaves, do site oficial

Isbosete foi morto na trama dentro da própria casa
Isbosete foi morto na trama dentro da própria casa Isbosete foi morto na trama dentro da própria casa

Em uma sequência carregada de ação e emoção, o ator João Villa encerrou sua participação em Reis — A Conquista com o personagem Isbosete. Em uma reviravolta, o filho de Saul (Carlo Porto), primeiro rei de Israel, foi assassinado pelos soldados de Abner (Dudu Pelizzari).

Em entrevista ao site oficial, João detalhou os bastidores do momento impactante em que o israelita é decapitado. "Por mais que seja uma cena de emoção, é com muita técnica. A mágica é feita com a câmera e a edição. Foi difícil 'parar de respirar', tive que segurar o ar por alguns segundos para não me mexer e também ficar com o olho aberto, mesmo estando 'morto'. E, assim que morri, em cena, tive que sair do quadro da câmera para entrar a espada do outro ator, onde a cabeça era cortada. Ele atinge a cama com a espada, mas a edição faz parecer que foi a cabeça", contou.

Assista à cena: 

Por conta da disputa entre as casas de Saul e Davi, Recabe e Baaná acreditaram que iam agradar a Davi (Cirillo Luna) ao entregarem a cabeça de Isbosete. No entanto, eles acabam mortos pelo rei. As cenas foram gravadas no complexo de estúdios Casablanca, no Rio de Janeiro. O ator analisou a trajetória conturbada do personagem ao longo da trama.

"Tentei buscar tudo o que o personagem passou até chegar naquele momento e entender que era o fim. Ele chega ao limite da depressão, nada mais faz sentido para ele. Mesmo sendo assassinado, acredito que, internamente, Isbosete já estava morto, e isso tudo ajudou a dar vida à cena da morte", disse.

Leia também

Nos bastidores, Villa se manteve concentrado durante grande parte do dia até chegar o momento de entrar no estúdio. Ele detalhou o trabalho feito antes das sequências.

"É muito difícil se preparar para morrer em cena. O processo de construção do personagem foi muito intenso, acho que foi o trabalho mais desafiador da Record TV para mim. Estamos falando de um personagem depressivo, bipolar, com muitos traumas, e toda a preparação antes de começar a gravar a sexta temporada foi muito importante. Trabalhei coisas internas em mim que pudessem me ajudar a entrar no personagem de uma maneira fácil e a me desfazer na hora do término da cena", disse.

"A vida dele é uma montanha-russa", diz João Villa
"A vida dele é uma montanha-russa", diz João Villa "A vida dele é uma montanha-russa", diz João Villa

Após a gravação, o ator se despediu do personagem com gratidão.

"Acho que o público vai sentir amor e ódio pelo Isbosete nessa sexta temporada. Ele se tornará outra pessoa sendo rei, mas isso é justificável por tudo que o personagem passou na infância até chegar aqui. A vida dele é uma montanha-russa, e isso foi o mais prazeroso. Pude trabalhar várias emoções diferentes, e acho que é isso que o telespectador vai sentir também", comentou.

O que será que vem por aí em Reis depois da morte de Isbosete? Acompanhe A Conquista de segunda a sexta, às 21h, na tela da Record TV. Veja também um resumo da série aos sábados, no mesmo horário, e assista a todos os episódios da superprodução em PlayPlus.com.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.