Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cidade Alerta
Publicidade

'Nada vai trazer meu irmão de volta', dispara parente de motorista morto por Porsche desgovernado

A RECORD foi até a delegacia quando o suspeito resolveu se entregar e mostrou os detalhes da decisão judicial; entenda

Cidade Alerta|Do R7

O jovem que causou a morte do trabalhador vai responder em liberdade
O jovem que causou a morte do trabalhador vai responder em liberdade O jovem que causou a morte do trabalhador vai responder em liberdade (Reprodução/RECORD)

O drama continua no caso do motorista de aplicativo morto por um Porsche desgovernado na zona leste de São Paulo. Mais de 24 horas após a colisão que matou Ornaldo da Silva, de 52 anos, o jovem que dirigia o carro de luxo que causou o acidente se apresentou à polícia e o Cidade Alerta cobriu tudo. 

Fernando Sastre de Andrade Filho, de 24 anos, que acelerava o carro avaliado em mais de R$ 1 milhão antes da batida fatal, foi considerado como fugitivo após deixar a cena antes de ser investigado pelas autoridades. Quando soube do corrido, sua mãe foi até o local e sumiu com o principal suspeito. 

Desamparados e buscando respostas, os parentes da vítima buscaram o jornalismo da RECORD para contar a própria versão do caso. No Balanço Geral, um dos três filhos do trabalhador morto fez um depoimento presencial sobre os desafios que a família deixada por Ornaldo precisa enfrentar para que a justiça seja feita. 

Sob revolta e forte comoção, os parentes do motorista de aplicativo deram seu último adeus ao homem nesta terça (2). Ao ver o companheiro ser enterrado, a esposa da vítima chegou a passar mal e precisou até ser socorrida. "Eu quero justiça pelo meu irmão, ele não merecia morrer dessa forma", afirmou uma parente. "Nada vai suprir esse vazio", desabafou Lucas, seu primogênito.

Publicidade

Leia também

Ao mesmo tempo em que o corpo era sepultado em cemitério de Guarulhos (SP), cidade onde Ornaldo morava, o responsável pelo acidente entrava em uma delegacia da capital paulista. Cerca de 38 horas após o ocorrido, fora do prazo da prisão em flagrante, Fernando se apresentou para prestar esclarecimentos na presença de uma advogada. 

Perguntas como o motivo do carro de Fernando ter perdido o controle e colidido com tamanha velocidade no carro da vítima ainda não foram completamente entendidas. Além disso, a possibilidade de embriaguez ao volante é outra questão que a fuga do local do acidente pode fazer com que não seja esclarecida. 

Publicidade

Outra apuração que está sendo feita se refere à conduta dos agentes de segurança que permitiram a saída do suspeito da cena de crime com a sua mãe. Ela teria convencido os policiais de que levaria o filho a um hospital, mas Fernando não foi localizado depois disso e nunca chegou a realizar exames toxicológicos como o do bafômetro, podendo aumentar a pena. 

Na estação policial, o jovem que sobreviveu foi indiciado por dolo eventual na fuga do local, e lesão corporal devido a um colega que estava no banco do passageiro do Porsche. Mesmo assim, a Justiça negou o pedido de prisão e Fernando foi liberado. 

Publicidade

Veja o momento no Balanço Geral Manhã:

A equipe da emissora também esteve no velório, onde familiares inconformados expressavam sua dor. Para quem o conhecia, fica a lembrança de um homem querido por todos. "Trabalhador, honesto e pai exemplar", foram algumas das características elencadas por um amigo próximo. "Nada nesse mundo vai trazer meu irmão de volta", disparou a parente. 

Confira na íntegra:

Acompanhe o Cidade Alerta para mais notícias como essa. O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 16h30; e aos sábados, com duas edições, às 17h e às 21h, respectivamente, na tela da RECORD.

" gallery_id="660b0d17416eb98f80000323" url_iframe_gallery="recordtv.r7.com/cidade-alerta/nada-vai-trazer-meu-irmao-de-volta-dispara-parente-de-motorista-morto-por-porsche-desgovernado-02042024"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.