Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cidade Alerta
Publicidade

"Um pesadelo", desabafa vítima de médico acusado de estupro de vulnerável

O homem já foi denunciado por três pessoas, mas está foragido; entenda o caso

Cidade Alerta|Do R7

Médico-cirurgião é denunciado por três vítimas pelo crime de e
stupro de vulnerável
Médico-cirurgião é denunciado por três vítimas pelo crime de e stupro de vulnerável Médico-cirurgião é denunciado por três vítimas pelo crime de e stupro de vulnerável

O Cidade Alerta traz detalhes do caso do médico-cirurgião Paulo Augusto Berchielli, proctologista especialista na parte final do intestino grosso, cólon e reto, acusado de abusar sexualmente pacientes durante cirurgia.

Uma das vítimas decidiu quebrar o silêncio e conversou com exclusividade com a equipe da Record TV. Ela relembrou a violência sexual que viveu. “A sensação era de pedir a morte. Eu queria morrer. Não queria estar vivendo o que eu estou vivendo. Um pesadelo”, desabafou.

Leia também

Segundo a vítima, ela tinha um encaminhamento para uma cirurgia e optou por pagar o procedimento particular com o médico, Paulo, que faria a cirurgia a laser pelo valor de R$ 5 mil. O suspeito de abuso afirmou que teria uma assistente para realizar o procedimento, porém só ele que a atendeu no dia.

Para iniciar a cirurgia, o doutor a medicou para dormir. A vítima só se lembra de ouvir alguns barulhos. Ao acordar da cirurgia, ela percebeu que estava sangrando e com dor em toda a região pélvica, o que não fazia sentido em relação ao local que foi operado.

Publicidade

Nas consultas pós-operatórias, foi novamente abusada. “Ele me disse que teria que tirar a roupa toda para me examinar, mas eu fingi que não ouvi”, contou. Depois disso, a mulher foi embora e não voltou mais.

Além dos toques claramente inadequados, outro detalhe lhe chamou atenção. O médico não usava luva durante o procedimento. Para piorar, o local da cirurgia infeccionou. “Estou viva por um milagre. Porque ele quase me matou, quase tirou a minha vida”, desabafou.

Publicidade

Foram cinco meses de tratamento, entre internações e fortes remédios. Ela ainda se recupera dos machucados físicos e emocionais. A mulher resolveu registrar um boletim de ocorrência contra o abusador. Ao chegar na delegacia, se surpreendeu ao descobrir que já havia um inquérito instaurado contra ele, com relato de mais duas vítimas.

O primeiro caso teria acontecido há quase dez anos, porém a paciente não tinha provas. Além disso, o médico alegou que o abusado teria sido ele, e acabou respondendo em liberdade. O caso mais recente foi de uma mulher que contou ter acordado da anestesia durante a cirurgia. O exame de corpo de delito foi colhido e o estupro comprovado.

Publicidade

Três pessoas o denunciaram, mas a estimativa é que haja dezenas de vítimas. O médico-cirurgião era renomado, com a agenda de atendimentos lotada, em sua clínica na região do Tatuapé, na zona leste da capital paulista. A equipe foi até o local, mas as secretárias fecharam o estabelecimento assim que o avistaram.

Na denúncia do Ministério Público, foi relatado que há indícios suficientes de autoria e materialidade. Além disso, a frieza e a crueldade com que o crime foi praticado apontam uma personalidade desvirtuada e alta periculosidade para o convívio social. O denunciado está foragido e é procurado pela polícia por estupro de vulnerável.

O Cidade Alerta vai ao ar de segunda a sexta, às 16h50, e aos sábados, 17h, na tela da Record TV.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.