Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Reis

Marcelo Arnal revela desafios da nova fase de Sama na série Reis 

Personagem ficou cego após lutar sozinho com uma tropa de filisteus e ser atingido na nuca pela espada de um dos inimigos

Entrevistas|Bianca Godoi, do site oficial

"Foi um desafio muito grande", diz Arnal
"Foi um desafio muito grande", diz Arnal "Foi um desafio muito grande", diz Arnal

A cegueira de Sama em Reis — A Conquista trouxe novos desafios para Marcelo Arnal em cena. Em entrevista ao site oficial, o ator analisou a sequência em que o personagem perdeu a visão, relembrou a preparação para o momento e revelou as técnicas que tem utilizado para interpretar essa difícil realidade do guerreiro na série.

Na trama, Sama foi para uma batalha em Gesur e, no meio do caminho, se deparou com um grupo de filisteus matando e roubando pessoas inocentes. Para defender aquele povo, o soldado lutou sozinho com uma tropa de homens e matou todos, mas, antes de morrer, um dos inimigos acertou a espada na nuca do israelita.

“A partir desse momento, ele começou a desenvolver algumas sequelas, como ver tudo escuro, tontura, muita dor na cabeça e nos olhos. Em contrapartida, a Arrava [Natália Ferrari], esposa dele, estava grávida. Então, o Sama não queria que ela ficasse nervosa e acabou inventando várias desculpas para esconder o problema. Depois de um período, um dia ele acorda, está se arrumando para sair quando, de repente, tudo fica escuro. Ele desmaia, bate a cabeça em um móvel do quarto e, quando abre o olho, já não enxerga mais nada”.

Relembre o momento:

O ator contou que Sama passa por uma longa transição até aceitar a nova condição dele. “Ele entra em uma depressão profunda e não quer sair do quarto. Até que o personagem começa a entender e, por meio da fé, fala: 'vou sair dessa cama'. Então, existe um processo: da pancada até a cegueira, depois, ele cego, no início, em que ainda não está acostumado e, por fim, Sama já sabe que não adianta movimentar o olho, porque não vai enxergar nada. Ele começa a seguir a audição”.

Preparação e desafios

Arnal explicou que, por questões de segurança, ele não usa lentes de contato que diminuem a visão para gravar as cenas do israelita. “Nós escolhemos um outro método para fazer a atuação, porque o personagem volta para o exército e luta cego. Então, o melhor é não usar a lente para me defender e não me machucar”.

O ator descreveu a técnica utilizada para viver um homem cego como “olhar para dentro”. Além disso, ele também participou de alguns exercícios físicos durante a preparação. “Sabe quando você fala assim: 'Ei, está viajando?'. A pessoa está com o olho aberto, só que não está olhando, e sim pensando em algo. [O trabalho] Parte desse princípio. Fiz alguns aquecimentos também, de ficar vendado por 40 minutos dentro de uma sala. Em seguida, eu tirei a venda e não podia pisar em nada que estava no chão. É como se eu bloqueasse a minha visão do nariz para baixo. E, depois, trabalhei a questão do olhar, porque é muito diferente uma pessoa que fica cega e uma que nasce assim”.

Sama supera as dificuldades por Éder e encontra na música um motivo para seguir
Sama supera as dificuldades por Éder e encontra na música um motivo para seguir Sama supera as dificuldades por Éder e encontra na música um motivo para seguir

Além da construção da perda visual, o personagem também exigiu que o ator tocasse alguns instrumentos. Apesar de já tocar violão, Arnal também teve que fazer aulas de alaúde e tamborim. “Tenho uma noção de instrumento de corda, mas o alaúde é diferente, é mais delicado. E o Sama aprende a tocar já cego, então, eu não podia nem olhar para a minha mão enquanto toco. O tamborim, ele aprende rápido, mas ainda assim fiz aulas. E de canto também”.

Para ele, interpretar a atual realidade de Sama exige um conjunto de habilidades dele enquanto ator. “Existe o desafio da complexidade do personagem no geral, ou seja, o Sama, além de guerreiro, ele monta a cavalo e ele começa a desenvolver a cegueira enquanto a mulher está grávida. Foi um desafio muito grande esconder da Arrava que ele estava com um problema na visão. E depois, além de ficar cego, ele canta, toca tamborim e alaúde. Olha só quantos desafios. Eu gravei uma cena em que o personagem estava cego, tocando tamborim, cantando e interagindo com o filho, tudo ao mesmo tempo. É realmente muita coisa. Está sendo um trabalho muito divertido, mas bem difícil”.

Será que Sama irá retornar ao exército de Israel na sétima temporada? Para descobrir, não perca a estreia de O Pecado na próxima terça-feira, dia 23 de abril, na tela da Record TV. Enquanto isso, confira os últimos episódios de A Conquista, às 21h. E se perdeu algum detalhe assista também às íntegras no PlayPlus.com.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.