Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Reis

"Todos os amores que ela teve não sobreviveram", diz Vannessa Gerbelli sobre fim de Hagite

Esposa de Davi (Petrônio Gontijo) em Reis morreu de forma misteriosa ao ser atacada fora dos muros de Jerusalém

Entrevistas|Gabriel Alberto, do site oficial

A atriz comenta momentos finais de Hagite
A atriz comenta momentos finais de Hagite A atriz comenta momentos finais de Hagite

Ao deixar Jerusalém, Hagite (Vannessa Gerbelli) foi atacada de forma misteriosa nos arredores da cidade. O corpo dela foi encontrado por Benaia (Angelo Coimbra) e pelo exército de Israel no início da nona temporada de Reis, A Sucessão

Em um papo exclusivo com o site oficial, Vannessa Gerbelli comentou os momentos finais da esposa de Davi (Petrônio Gontijo) que, após a morte do marido, tentou novamente tornar o filho, Adonias (Brunno Daltro), rei. Acusado de traição por Salomão (Guilherme Dellorto), o príncipe foi morto na frente da mãe

“Para ela, morre absolutamente tudo, acaba a vida dela. A Hagite já não teve o marido do jeito que sonhou, o filho não atingiu o que ela achava que pudesse [atingir] e, além de tudo, morre. Ou seja, é o fim de tudo. Todos os amores que ela teve não sobreviveram”, refletiu Gerbelli.

A atriz contou que a sequência da morte de Adonias foi um momento muito intenso, em que precisava transmitir ao público todo o desespero de uma mãe que vê o filho ser assassinado.

“A cena foi muito intensa, porque ele é decapitado na frente dela, é cruel. [Como atriz] Ou você vive o desespero ou fica uma coisa que não convence ninguém. Então, tem que se jogar. É o tipo de cena que não dá para resolver na técnica”, explicou.

Durante a oitava temporada, A Consequência, o público acompanhou uma Hagite que buscava satisfação em um relacionamento proibido com Joabe (Marcelo Faria) para lidar com as frustrações do casamento. Após a morte dos primogênitos de Davi, Hagite entrou na empreitada de tornar o filho sucessor do trono de Israel.

“Não penso que tenha sido uma obsessão pelo poder, acho que era para ter alguma realização na vida. Na opinião dela, o Davi não soube governar, começou a ficar submisso a certas coisas, não se posicionava, e a Hagite via isso como uma fraqueza. Ela acreditava que o filho pudesse fazer melhor com a ajuda dela. A personagem se achava superior nesse sentido. E, claro, com muito rancor e muita raiva pela Bateseba [Anna Lima]”, apontou Gerbelli.

A morte de Adonias é um golpe duríssimo em Hagite
A morte de Adonias é um golpe duríssimo em Hagite A morte de Adonias é um golpe duríssimo em Hagite

Segundo a atriz, algumas atitudes de Hagite podem ser consideradas vilania devido à humilhação direcionada à rainha escolhida por Davi:

“Ela tem todos os motivos para ser infeliz, mas não para ser cruel e maldosa. Esse é o desafio na vida, de ter experiências, às vezes frustrantes, e não tornar o mundo à nossa volta pior por conta do nosso sofrimento. Acho que o problema da Hagite é exatamente esse, ela descontou a frustração nos outros”.

O desprezo por Bateseba culminou em sequências poderosas entre as atrizes e uma sequência final emocionante, na qual as duas se perdoam por todos os confrontos que tiveram ao longo da vida.

“[A cena] É bonita, porque mostra o que poderia ter sido. Elas poderiam ter sido grandes amigas. É uma pena, um desperdício”, afirmou a atriz.

Gerbelli destaca a parceria com Anna Lima
Gerbelli destaca a parceria com Anna Lima Gerbelli destaca a parceria com Anna Lima

Por outro lado, a troca entre as atrizes foi totalmente oposta à de Hagite e Bateseba. Sempre com muita risada e bom humor envolvidos, elas tinham a cumplicidade e parceria necessárias para o sucesso das cenas.

“A gente se divertia muito nos bastidores. Ela é muito bem-humorada, e eu também. Gosto muito de dar risada, pago para ter um ataque de riso. Foi muito legal. E a gente curtia as cenas dos embates, ensaiava bastante. É o tipo de colega que afina [o trabalho] por conta da vontade de fazer bem, de estudar. Foi a melhor relação possível”, garantiu.

Ao se despedir da superprodução, Gerbelli reforçou a importância de um trabalho coletivo, em sintonia, com harmonia e vontade em fazer dar certo.

“Foi uma série em que todo mundo se dava bem. Era muito harmonioso, com respeito e bom humor. A gente jogava e se divertia, porque pode ser muito exaustivo. Trabalhamos muitas horas, com muito texto na cabeça, e não conseguimos dar conta das coisas de casa. É natural que, em um dado momento, as pessoas fiquem exaustas. E conseguimos nos acolher nessas horas e ser parceiros. Fomos muito felizes nesse trabalho”, contou.

Atriz comenta intensidade das gravações da série
Atriz comenta intensidade das gravações da série Atriz comenta intensidade das gravações da série

A atriz ainda aproveitou para destacar o ritmo e a intensidade da série, com grandes acontecimentos em menos episódios do que outras produções.

“A forma como é gravada [a série] é muito grande, é mega. Em uma novela, geralmente tem um evento a cada 15 dias ou um mês. Aqui, é um evento ou mais por dia. É muito intenso, com muita gente. E gravado em tempo recorde. É um toque muito acelerado, que acredito que ninguém faça no Brasil”, concluiu.

Reveja a história de Hagite no PlayPlus.com e continue acompanhando os episódios de Reis — A Sucessão na tela da Record TV: de segunda a sexta, às 21h, com melhores momentos aos sábados, no mesmo horário.

Mortes de Joabe e Adonias impactam os fãs da série:

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.