Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Repórter Record Investigação
Publicidade

Repórter Record Investigação mostra as várias faces da violência contra idosos no Brasil

Programa desta quinta (16) revela que O Disque 100, usado para denunciar violações de direitos humanos, registrou em 2022 quase 87 mil denúncias desse tipo no Brasil

Repórter Record Investigação|Do R7

Programa desta quinta (16) mostra diferentes tipos de violência contra idosos
Programa desta quinta (16) mostra diferentes tipos de violência contra idosos Programa desta quinta (16) mostra diferentes tipos de violência contra idosos

ORepórter Record Investigação desta quinta (16) mostra as várias faces da violência contra idosos no Brasil. O Disque 100, usado para denunciar violações de direitos humanos, registrou em 2022 quase 87 mil denúncias de violência contra idosos no país.

Esse número preocupante levou a equipe da Record TV a produzir um especial sobre o assunto. A maioria das agressões acontece dentro de casa e elas são cometidas por parentes.

Os idosos também viraram alvo preferencial de golpistas e vítimas de maus tratos ou negligência em casas de repouso.

A reportagem exclusiva é de Marcus Reis, Flávia Prado e Rodrigo Favero.

Publicidade

A função do cuidador é ajudar o idoso com higiene, alimentação, companhia e remédios. Priscilla até cumpre essas atribuições ao tomar conta do seu João. Mas é acusada pelo próprio idoso, com quem se casou sem ele saber, de maus tratos. Além de ser agredido a pauladas, o idoso passou a viver confinado no quintal da casa onde moram.

"Fiquei um mês dormindo lá fora, ao relento", revela seu João.

Publicidade

Você vai ver também que duas casas de repouso estão na mira da Justiça. Em uma delas, cinco idosos e uma cuidadora morreram no incêndio que destruiu a instituição. A polícia ainda aguarda o resultado da perícia para concluir o inquérito que apura as causas e os responsáveis pelo incêndio.

"Não é possível morrerem sete pessoas dentro de uma casa e ficar por isso mesmo", desabafa indignado Eduardo, filho de uma das vítimas.

Publicidade

No outro caso, a responsável pelo abrigo falou pela primeira vez. Ela está presa e foi denunciada pelo Ministério Público por maus tratos. A acusada nega que tenha tratado mal qualquer idoso.

"Eles tinham auxílio, remédio, a gente marcava consultas para eles. Eu não cobrava um real de gasolina dos pacientes", se defende Gerônima Dias Barbosa.

De acordo com relatórios médicos, os 26 idosos que se encontravam na casa de repouso estavam desidratados e se diziam com fome ou famintos. Segundo o laudo de legistas, uma idosa morreu por desidratação intensa e desnutrição.

Após enfrentar uma sequência de perdas, Maria Angélica também passou a viver em uma casa de repouso porque não tinha para onde ir. Foi quando decidiu procurar amigos na internet e acabou caindo numa armadilha. Ela foi vítima de golpe.

"Eu o conheci nas redes sociais, ele se tornou meu amigo e me ajudava em tudo. Era a única pessoa que estava ao meu lado. Aí eu fiz um empréstimo consignado de R$ 13 mil para pagar contas atrasadas e dei a senha do cartão para ele. Eu nunca imaginei que essas pessoas fariam isso comigo", conta.

E mais: o Brasil está realmente preparado para cuidar daqueles que chegam tão longe? E o que fazer para envelhecer bem hoje em dia?

Não perca o Repórter Record Investigação desta quinta (16), logo após Vidas em Jogo, às 22h45. 

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.