Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Vidas em Jogo
Publicidade

"Vítima do seu próprio egoísmo", afirma Beth Goulart sobre a vilã Regina

Atriz relembra o trabalho em Vidas em Jogo e analisa a trajetória de sua personagem na trama

Vidas em Jogo|Bianca Godoi e Otávio Urbinatti, do site oficial


Beth Goulart relembra a personagem Regina em Vidas em Jogo
Beth Goulart relembra a personagem Regina em Vidas em Jogo

Emoções, surpresas e transformações. Isso é o que o público ainda pode esperar da vilã Regina em Vidas em Jogo. Quem diz isso é a atriz que deu vida a uma das personagens mais marcantes da televisão brasileira. De volta à tela da Record TV, Beth Gourlat conversou com exclusividade com o site oficial e falou sobre o sensação de rever a trama anos depois da estreia.

Para ela, acompanhar novamente a novela — exibida pela primeira vez entre 2011 e 2012 — é uma forma de analisar qualidades que, muitas vezes, passaram despercebidas. "É sempre uma alegria rever um trabalho, principalmente um tão intenso e de uma qualidade tão grande", diz Beth. Mas, além da história, a novela guarda um espaço importante em sua carreira: o seu primeiro trabalho na emissora.

Viúva e mãe de Patrícia (Thaís Fersoza) e Tatiana (Shaila Arsene), Regina é daquelas vilãs multifacetadas, que arrebata o público com suas ganâncias, maldades e, especialmente, fragilidades. "O interessante é que nenhum personagem é só vilão ou só bonzinho. Todos são múltiplos, têm muitos sentimentos dentro de si. Isso é o que torna um personagem interessante e, às vezes, uma vilã se torna humanizada. Foi o que eu tentei fazer com a Regina". 

A atriz explica que a obsessão da personagem em salvar a construtora e defender a sua família faz com que ela passe por cima das pessoas e coloque a ambição na frente de todos os princípios. "Ela sempre teve muito medo de perder tudo e deixar as filhas passarem pelas dificuldades financeiras [que ela enfrentou no passado]. Isso faz com que não meça esforços para conseguir o seu objetivo".

Publicidade

Beth ainda revela que, ao longo da história, Regina passa por um processo de transformação muito grande diante de situações que terá que enfrentar. "Nunca coloque as pessoas como incorrigíveis [...]. A partir do momento que há culpa, há chance do personagem se redimir. E foi isso o que aconteceu durante a trajetória inteira da novela". 

Como é de se esperar, viver uma vilã como essa não foi um trabalho simples e proporcionou experiências memoráveis à atriz. Entre elas, conhecer pessoas que de fato invadiram um lugar no Rio de Janeiro. "[Entendemos] como foi viver em um espaço como esse, que era a problemática central da Regina. Isso deu um ponto de vista das vítimas muito interessante e me fez entender também como ela tinha que lidar com essa situação e com os personagens". 

Publicidade

E são essas ações e conflitos internos de Regina que dão o tom e o desenvolvimento da trama. "Ela, sem saber, acaba sendo vítima da sua própria vilania, do seu próprio egoísmo, vaidade e ambição. Mas, aos poucos, ela vai vendo que na vida o que vale mais a pena são as relações humanas", completa.

Beth relembra com muito carinho os onze anos de relacionamento profissional com a Record TV. Além de Vidas em Jogo, a atriz deu vida a personagens marcantes em A Terra Prometida e Jesus. "É sempre um prazer estar ligado a um trabalho que você tem orgulho, que faz as pessoas pensarem e se tornarem melhores".

Vidas em Jogo vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 21h45, na Record TV.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.