Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cidade Alerta
Publicidade

‘Morreu na mão desse crápula’, desabafa irmão de vítima de feminicídio

Aline, de 31 anos, foi espancada pelo marido na frente das filhas; crime chocou a cidade de Limeira, no interior de São Paulo

Cidade Alerta|Do R7

RESUMINDO A NOTÍCIA

  • Mulher é espancada pelo marido das filhas em Limeira (SP);
  • Allan já tem passagens pela polícia por violência doméstica;
  • O homem fugiu após o crime, mas foi encontrado e preso em um hotel da cidade;
  • Aline deixa duas filhas pequenas.
Mulher é espancada pelo marido e morre na frente das filhas em Limeira (SP) (Reprodução/RECORD)


O Cidade Alerta trouxe o caso de Aline, de 31 anos, que morreu após ser agredida pelo marido na frente das filhas pequenas, em Limeira (SP). Uma câmera de segurança registrou os momentos após o ataque de Allan. A mulher passou uma semana internada, mas não resistiu aos ferimentos.

“Eles brigavam constante, mas eu nunca pensei que ia acontecer isso”, diz Daniela Damasceno, vizinha da vítima.

Leia também:

Em um relacionamento com histórico de agressão, Aline foi atacada, enforcada e morta pelo marido na frente das filhas. Desesperadas, as crianças gritaram pelo avô, que foi de imediato para ajudar a filha.

Publicidade

Câmeras de segurança registraram o momento em que Aline sai para rua para pedir ajuda aos vizinhos. Muito machucada, a vítima grita por socorro até perder as forças e cair desfalecida na calçada de casa. O pai de Aline e alguns moradores próximos começaram a se mobilizar para levar a mulher ao hospital.

Aline chegou a ficar uma semana internada em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos.

Publicidade

“A vítima já tinha problema de asma e tireoide. Então, no primeiro momento, ela ficou muito mal, e chegou a sair de casa e pedir socorro aos vizinhos. Ela chegou [na UPA] muito mal, e não resistiu”, conta Evelyn Kafa, delegada do caso.

O autor do crime fugiu, mas foi encontrado escondido em um hotel na cidade. Allan negou todas as acusações contra ele, e ainda afirmou que Aline o teria agredido primeiro.

Publicidade

Abalado, o irmão da vítima relembra como era a irmã: “Muito amorosa, uma pessoa boa, do bem. Ela amou a filha dela, ela amou esse crápula, esse bandido. Ela amava esse cara. Sou irmão dela, fiz de tudo para separar os dois, mas ela gostava desse cara. Tentou ajudar ele, mas ela gostava dele demais, e morreu na mão desse crápula, desse bandido”.

“Com a minha mãe viva, esse cara sempre foi um bandido, sempre quis ceifar a vida dela e nós também né? Me ameaçou de morte também, e minha irmã era tudo para mim né? Perdi minha mãe ano passado, e agora perdi minha irmã. Eu to sem chão”.

O último a ver Aline viva, foi o pai dela. Emocionado, ele lamenta a morte da filha: “Indignação, né? Porque a gente cria uma filha com tanto amor, para um bandido dizer que ama ela, que gosta dela, e fazer isso que fez. Por isso a gente fica muito sentido”.

“Esse cara tem que pagar tudo que ele fez, porque é um assassino de sangue-frio. Não deu nenhuma chance de reação para ela se defender. Tem que manter ele preso, porque acho que a cadeia é pouco para ele”, diz irmão de Aline.

A vítima deixa duas filhas pequenas, que agora estão sobre o cuidado de parentes.

Após o crime, Allan fugiu, mas os investigadores o encontraram escondido num hotel da cidade. Ele já tinha passagens por tráfico de drogas, organização criminosa, roubo à mão armada e violência doméstica.

Assista ao vídeo:

O Cidade Alerta vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 16h30; e aos sábados, com duas edições, às 17h e às 21h, na tela da RECORD.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.